Espiritismo


Quando tinha 17 anos conheci o Espiritismo codificado por Allan Kardec, ao ler "O livro dos espíritos" gostei porque me esclareceu várias questões.
Li posteriormente "O livro dos Médiuns" de Allan Kardec, recomendo, pois é muito bom, que quiser conhecer um pouco mais sobre a doutrina espírita poderá ler ainda "O Céu e o Inferno" ou: "O que é o Espiritismo" (Allan Kardec). O Espiritismo moderno, conhecido ainda por Kardecismo ou espiritismo Kardecista é uma doutrina filosófica e espiritual codificada pelo francês Léon Denizard Rivail em meados de 1857, mais conhecido pelo pseudónimo de Allan Kardec. Inicialmente (em 1855) frequentou sessões espíritas (fenómenos de mesas falantes, mesas flutuantes), incorporação e mediunidade. Publicou mais tarde obras intituladas de "Codificação espírita" onde mencionava as suas pesquisas, recebeu ainda instruções (mensagens) de um espírito guia.



O Espiritismo passou a ser um pouco mais intelectual, ou seja, ficado no estudo dos fenómenos, com uma terminologia própria e mais científica, palestras e esclarecimento de várias questões, ao passo que o espiritismo mais antigo e anímico (umbanda, candomblé, xamanismo) se dedica à prática mais ritual e incorporação de energias e entidades, pelo menos esse é o meu entender.
De acordo com o Conselho Espírita Internacional, o espiritismo está representado em 36 países ao redor do mundo, sendo mais difundido no Brasil, onde conta com cerca de 3,8 milhões de adeptos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e mais de 30 milhões de simpatizantes. De modo semelhante ao sincretismo na Umbanda (associar Orixás a santos católicos) o Espiritismo para ser melhor compreendido ou aceite, incorporou ensinamentos do Cristianismo, divulgam muitas mensagens de Jesus, defendem o monoteísmo, entre outras coisas.
Mas também adotam conceitos do Budismo (reencarnação, chakras, aura, carma). E existe uma pequena semelhança com o Reiki, na medida em que fazem passes magnéticos e fluidoterapia, embora os processos possam ser diferentes (entidades guias espirituais a enviar energia através do médium, ou processos similares) trata-se de cura energética.

Pluralidade dos Mundos habitados.
A doutrina espírita afirma que todos os globos que se movem no espaço são habitados, pois Deus não fez coisa alguma inútil. Afirma também que o homem terreno está longe de ser o mais evoluído entre todos os habitantes do universo (O livro dos Espíritos, questão nº 55).
Isto lembra-nos a teoria do Multiverso, da Física quântica, acredito que não são apenas outros planetas do sistema solar ou de outros sistemas, mas sim outros mundos habitados. Porém o espiritismo dá a entender ainda que seres de outros planetas podem estar sob outra aparência, ou forma menos densa (seres energéticos ou espirituais) não visíveis aos nossos satélites, portanto esses planetas podem parecer inabitados por não vermos evidências de vida lá. Mas a vida pode estar noutra frequência mais elevada, seres não visíveis no nosso espetro de luz.


O que conheci da doutrina espírita (num centro federado, vale a pena sublinhar) é que nos esclarece muitas questões, ajuda-nos a melhorar como ser humano e a compreender melhor as nossas faculdades medianímicas, promovem a humildade (dizem que todos temos mediunidade e ninguém é especial, ou melhor que outrém, por ser médium). Não julgam, sempre tive liberdade de comparecer quando quisesse, ou ficar meses sem aparecer, por exemplo, ninguém me forçava a ir (como fazem certas igrejas) nem me julgavam se eu gostava de ler livros esotéricos ou doutros ensinamentos.
Esses foram alguns dos pontos positivos que destaco.
Gosto também de ler sobre espiritualismo ou espiritismo esotérico, inclusive aquele que promove canalizações espirituais de Ramatis, Kryon, Bashar, seres da confederação intergalática, Mestres Ascensos (Teosofia, Hermetismo) entre mais. Tudo o que sirva para elevar o nosso espírito, é bom.

Esta não foi uma introdução muito extensa, haveria muito mais a dizer, porém, o objetivo foi dar a conhecer apenas um pouco do Espiritismo.

Ficam aqui algumas frases de "O livro dos Espíritos":
«Não vos inquieteis com a oposição; tudo o que contra vós fizerdes se tornará a vosso favor e os vossos maiores adversários, sem o quererem, servirão à vossa causa.»

«Deixando a vida futura de estar velada pela dúvida, o homem perceberá melhor que, por meio do presente, é-lhe dado preparar o futuro.»

«O livre-arbítrio é a habilidade de escolher tomar decisões por sua própria vontade. “Pois que tem a liberdade de pensar, tem a de agir. Sem o livre-arbítrio o homem seria uma máquina»

«Onde se pode encontrar a prova da existência de Deus? Num axioma que aplicais às vossas ciências: não há efeito sem causa. Procurai a causa de tudo o que não é obra do homem e a vossa razão vos responderá.»

«O sábio, para ser feliz, olha abaixo de si e jamais acima, a não ser para elevar a sua alma até o infinito.»



Algumas perguntas e respostas:


Os espíritos podem reencarnar em forma animal?
Segundo o espiritismo não, partilho da mesma opinião, esse conceito antigo era a metempsicose e predominava em algumas religiões como o hinduísmo.
Os espíritos humanos pertencem a outro reino espiritual, evoluem sempre. Nas suas múltiplas existências corpóreas podem abrandar, mas nunca regredir. A rapidez do seu progresso intelectual e moral depende dos esforços que façam para chegar ao aperfeiçoamento.

O que é a mediunidade?
É uma faculdade que nasce com todo o ser humano, porém alguns em estado adormecido, independentemente da religião ou da diretriz doutrinária de vida que adotem. Existem diferentes faculdades medianímicas (escreve-se assim, em vez de mediúnicas como popularmente dito), desde clarividência, telepatia, vidência, precognição, faculdades essas que na parapsicologia são conhecidas como perceção extrasensorial (PES).


Podemos reencarnar noutros planetas?
Sim. Baseando-nos na teoria da pluralidade das existências e dos mundos habitados, o espírito pode reencarnar em qualquer um desses mundos. Emigrando da Terra, o espírito deixa o seu invólucro fluídico (perispírito) e forma outro apropriado ao mundo onde vai habitar.


Como atuam os espíritos sobre a matéria?
Os espíritos agem sobre a matéria através do perispírito. O Espírito propriamente dito é uma abstração. Para se manifestar na matéria, precisa de um elemento semimaterial, denominado perispírito. O perispírito é o veiculo de ligação entre o espírito e a matéria.


O que é o passe magnético?
O passe é a transfusão de fluidos físicos e espirituais em que estão entrelaçados os fluidos materiais (magnetismo do médium) e os espirituais (magnetismo dos espíritos). O passe é uma irradiação amorosa tanto do médium quanto dos espíritos de luz, interessados no equilíbrio psíquico, físico e espiritual dos seres encarnados.



Tipos de Médiuns:



Segundo o Livro dos Médiuns, existem diferentes tipos de médiuns.
Prefiro dizer; tipos de faculdades medianímicas, pois na verdade o livro descreve os diversos tipos de faculdades extrassensoriais.

Médiuns de efeitos físicos:
São aqueles aptos a produzir fenómenos materiais, como os movimentos dos corpos inertes ou os ruídos. Podem ser classificados em médiuns facultativos (os que produzem os fenómenos espíritas por vontade própria e são totalmente conscientes do que estão fazendo), e médiuns involuntários: que não possuem consciência nem desejo de produzir fenómenos.

Médiuns sensitivos:
Trata-se de médiuns suscetíveis de sentir a presença dos espíritos por uma impressão vaga e que podem reconhecer se o espírito é bom ou mau por meio de sensações mais sutis ou mais pesadas consoante o caso.

Médiuns audientes/ ou claraudientes:
São aqueles que ouvem a voz dos espíritos e podem conversar diretamente com eles.

Médiuns psicofónicos:
São os que transmitem as comunicações dos espíritos por meio da fala.

Médiuns videntes:
São dotados da faculdade de ver os espíritos. Entre os médiuns videntes, há alguns que só veem os evocados e outros que veem toda a população de espíritos.

Médiuns sonambúlicos:
Nesse tipo de mediunidade, o espírito do médium vê, ouve e percebe os demais espíritos enquanto dorme. Edgar Cayce era um famoso exemplo.

Médiuns curadores:
São aqueles que curam pelo simples toque, pelo olhar ou mesmo por um gesto, sem o recurso de qualquer medicação.

Médiuns psicógrafos:
Transmitem as comunicações dos espíritos por meio da escrita. Esses médiuns podem ser divididos em três categorias: mecânicos, semimecânicos e intuitivos. Os mecânicos não têm consciência do que escrevem, e a influência do pensamento do médium na comunicação é quase nula. Os semimecânicos interferem parcialmente na comunicação. Já os intuitivos recebem a ideia do espírito comunicante e interpretam-na, desenvolvendo-a com os recursos das suas próprias possibilidades morais e intelectuais.